IORM – Parte III

Ao falar de IORM, deve-se lembrar que ele é somente uma parte do processo. Como já citei em posts anteriores, o IORM é um resource manager semelhante ao encontrado no banco de dados, sendo chamado de interdatabase enquanto o resource manager do banco de dados é chamado de intradatabase. O IORM deve ser somente uma das funcionalidades utilizadas em um projeto para Exadata, um bom projeto começa com preocupações que vão desde a conexão a base de dados, passando pela gerência dos recursos internos da instância e indo até I/O.

A integração do IORM com o resource manager do banco de dado pode ser realizada através de categorias (catPlan). Apesar de o IORM em suas métricas apresentar a distinção por consumer groups não é possível utilizá-los na definição do plano de recursos. Com o uso de categorias, você pode ir além de uma simples delimitação de recursos por bancos de dados, você pode agrupar o I/O independente do banco de origem.

Além do controle através de categorias, o IORM pode utilizar somente bases de dados (dbPlan), mas este não consegue se integrar completamente com o plano de recursos da base de dados. O uso é realizado de maneira indireta, somente através das métricas, sem qualquer possibilidade de gerência ou direcionamento dos recursos.

Antes de começar a definição do plano de recursos do IORM deve-se analisar o conjunto das bases de dados que estarão em execução. Indo além, deve-se verificar quais os tipos de aplicativos e carga de trabalho existente. Com base nesse levantamento será possível traçar quais os serviços que podem ser criados, quais os consumer groups existentes e principalmente, quais as categorias de I/O que são comuns entre as bases de dados.

Continue lendo…