Atualizando o Exadata – DBNODE

Diferentemente da atualização do storage node a do dbnode é mais complexa e não existe nada semelhante ao patchmgr para ajudar, é tudo feito através do passo a passo e manualmente. Prepare-se para um post extenso, com muita informação e com diversos logs de comandos executados. Tentei não poupar informações dos comandos executados para poder compartilhar o máximo, qualquer dúvida é só perguntar. Tudo o que está descrito aqui ocorreu a uns dois meses atrás durante a atualização do Exadata que executei.

Cabe resaltar que na versão 11.2.3.1.0 ocorreram grandes mudanças na forma como dbnode é atualizado. Na realidade esta versão é um divisor de águas no método de atualização. O primeiro local onde isso é citado é na nota 888828.1, que informa que o minimal pack foi descontinuado. O minimal pack era um arquivo que continha todos os pacotes dos aplicativos e bibliotecas do Linux e o kernel do dbnode a serem atualizado.

A partir da 11.2.3.1.0 a atualização passa a ser através da Unbreakable Linux Network (ULN), onde estão disponíveis todos os pacotes e repositórios da Oracle para Linux. Desta forma, você precisa criar um servidor que será um mirror de alguns dos canais disponíveis na ULN. Complicou não é? Calma que isso é só o começo.

Com base no readme do patch 13998727 (versão 11.2.3.1.1) somos informados que o método para criar este mirror está descrito no patch 13741363. Com base no readme deste patch somos apresentados aos requisitos e passos necessários para criar o mirror. A este método chamamos de One-Time Setup, servindo como preparação para a atualização do dbnode.

Infelizmente a documentação começa a ficar confusa neste ponto, se você observar no readme do patch para 11.2.3.1.1 você irá ver que os passos listados no passo 6 parecem incompletos. Na realidade eles estão, pois o passo 1 leva a ao One-Time que deve estar concluído e os outros remetem a passos de outra nota onde você deve trocar algumas informações para prosseguir. Bem complicado e suscetível a falhas, é importante saber ler nas entrelinhas.

Continue lendo…