OpenWorld 2014

No final de Setembro e início de Outubro aconteceu a OpenWorld 2014 e tivemos muitas novidades, infelizmente serei um pouco parcial aqui por estar muito ligado ao Engineered Systems Oracle (Exadata, Backups) e alta disponibilidade – MAA (DataGuard, RAC). Nesta edição tivemos boas notícias em várias áreas, alguns lançamentos e muita informação técnica.

Para quem nunca foi na OpenWorld algumas coisas precisam ser esclarecidas, você não irá conseguir assistir a tudo o que você quer. Você terá que escolher qual palestra irá assistir, garanto a você que existirão duas que você gostaria de assistir no mesmo horário e terá que escolher só uma. Diferentemente da OpenWorld do Brasil, lá as palestras são com a equipe de engenharia da Oracle, você tem acesso a pessoa que criou o conceito por trás da tecnologia, como o CBO, o In-Memory do 12C (que foi a mesma do CBO), do Resource Manager, do Smarscan do Exadata e afins. Para os técnicos é ideal.

Para mim o que aconteceu de principal foi:

  • ZDLRA: Guarde bem este nome, você irá ouvir falar muito dele. Ele significa Zero Data Loss Recovery Appliance (ZDLRA) e para mim foi o grande lançamento da Oracle. Ele é um appliance (como o Exadata) para gerenciamento de backups, ele gerencia os backups, clones e afins de bancos de dados Oracle (desde a versão 10). Além disso, ele permite ser adicionado como um destino de archive para garantir que não seja perdida nenhuma informação (zero data loss). Falarei sobre ele em outro post.
  • Exadata: Nada foi falado do Exadata X5, mas algumas coisas sobre as próximas funcionalidades foram apresentadas. Tivemos informações sobre o Exafusion onde kernel do banco chama diretamente o Infiniband (deve ser algo parecido com o ASMLIB), mudanças no IORM para permitir um controle maior sobre o smartscan, integração maior com operações In-Memory do 12C (permitindo ao smartscan ser por coluna) e IORM só para flash.
  • In-Memory/Columnar: Nova funcionalidade queridinha da Oracle, permite que o banco de dados possa processar consultas diretamente me memória (sem acesso ao disco). O interessante aqui é que detalhes técnicos foram apresentados, como por exemplo a metodologia utilizada de comparação (basicamente usa a comparação de registradores diretamente via CPU/Memória – por isso é rápido) e de acesso (Vector Group By –parecido com Bloom Filter). Algo muito repetido, In-Memory não é cache e sim storage.
  • Cloud: Muita coisa se falou de PDB’s e CDB’s em cloud. Os keynotes (com o do Larry Ellison) falaram muito sobre como é fácil migrar bancos de dados E aplicações. Não é muito a minha área, mas pareceu interessante.
  • Troca de Informações: No primeiro dia fora dada uma atenção especial aos grupos de usuários (e isso é legal). Nestas palestras você pode “ver” a realidade, compartilhar de experiências de outros DBA’s e usuários, ver o que deu errado. Basicamente perceber que os exemplos da documentação oficial estão (algumas vezes) muito longe da realidade e ver que nem tudo são flores.

Participar de um evento deste porte (foram aproximadamente 60 mil pessoas) é uma experiência e oportunidade ótima, estar em contato com a equipe de engenharia da Oracle faz você crescer profissionalmente. A OpenWorld foi muito mais do que descrevi acima, tivemos palestras de Mysql, DataGuard, lançamento do novo processador Sparc, show do AeroSmith e afins. Se puder, participe.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *